Nova Agência da Previdência Social Santo Antonio do Monte atenderá das 8h às 14h.

Nova Agência da Previdência Social Santo Antonio do Monte atenderá das 8h às 14h. Foto: SRII/INSS

Na manhã desta segunda-feira (16), o INSS inaugurou mais uma Agência da Previdência Social em Santo Antônio do Monte, no Centro-Oeste de Minas. Além da população local, os moradores de Pedra do Indaiá também serão beneficiados pela nova unidade, totalizando 31 mil habitantes.

O superintendente regional do INSS Sudeste II, Paulo Eduardo Cirino, que presidiu a solenidade, destacou a importância da Previdência Social como a principal distribuidora de renda do país. Ele ressaltou que a nova unidade de Santo Antônio do Monte será responsável pela manutenção de 4.577 benefícios, injetando mensalmente na economia local mais de 3,6 milhões de reais. “Esse valor corresponde a cinco vezes mais que o montante repassado pelo Fundo de Participação do Município”, afirmou. (mais…)

Sr. Inácio dos Santos deixou de ser empregado e agora trabalha por conta própria. Foto: ACS/PE

O litoral nordestino guarda beleza e reserva surpresas. Quando o destino é o estado de Alagoas o roteiro inclui um mar que abriga uma das mais belas formações com arrecifes de coral com flora e fauna riquíssimas, e que na maré baixa, formam piscinas naturais. Também é terra de gente acolhedora e de lugares onde a natureza ainda parece intocada, apesar de o turismo ser crescente. Na cidade, que antes era um povoado chamado Gamela, nada parece ter pressa. O comércio ainda obedece aos horários praticados em cidades do interior. Fecha as portas para o almoço e só retorna após as 14h.

Na praia de Barra Grande, uma das melhores da cidade, mora o aposentado Inácio dos Santos, 65. Ele encontra-se, pacientemente embaixo de uma bela sombra. Linha e agulha vão costurando a rede. Passa horas nesse trabalho que precisa de muita experiência para encontrar os buracos feitos durante a pesca. Aposentado há um ano, aparenta a calmaria que envolve o ambiente. Apesar de ser bom pescador, o benefício foi conseguido como agricultor. “Aposentei num agência em Maceió(AL), como trabalhador do campo. A pesca é meu lazer, mas a roça é meu ofício desde os 10 anos quando aprendi a usar a enxada e trabalhar a terra. Não deixo de jeito algum”, diz. (mais…)

O aposentado Hermínio Cândido da Silva diz estar feliz com a aposentadoria, pois dinheiro nunca falhou. Foto: Divulgação ACS/PE

O aposentado, Hermínio Cândido da Silva, 65 anos, fez do campo sua fonte de renda. Não é conta de mentiroso, mas ele é pai de 29 filhos (com a mesma mulher), dos quais, 11 estão vivos. “Naquele tempo não tinha televisão no sítio (rss). Só um nasceu no hospital. Os outros em casa, com parteira. É bom ser pai de tantos filhos. Por fora tenho outros cinco e a mulher sabe”, conta num sorriso de quem teve muita boca para alimentar, mas que nunca se deixou abater com a seca e estiagem prolongada do sertão.

Até receber a aposentadoria rural, a única fonte de renda foi o campo. Trabalhou por um alimento sadio para ver a família crescer. Morador do sítio Varzinha, no município de Afogados da Ingazeira (PE), sertão do Pajeú, o produtor planta, colhe e vende. As hortaliças enfeitam um campo de três hectares. Dá gosto de ver a beleza dos produtos como alface, cebola, coentro, beterraba, cenoura. A chegada do benefício foi na hora certa. “Faz cinco anos que recebo. Esse dinheiro nunca falhou. Me ajudou até com empréstimo para meu filho, numa hora em que precisou. Estou contente demais”, diz naquele sotaque sertanejo onde a voz parece ter melodia. (mais…)

 

Joseja Barbosa esbanja com muita satisfação a condição de ser uma aposentada da Previdência Social. Foto: Denise Martins - ACS/PE


Os tempos são modernos, até para quem mora em lugares mais distantes dos centros urbanos. Mas essa realidade é atual. Não faz tanto tempo assim que a luz que chegava nas comunidades rurais no Sertão de Pernambuco era a de vela ou lampião. O tempo, como se diz por lá, se arrastava, sem pressa. As noites ganhavam mais beleza com um céu povoado de estrelas que embelezavam e que até hoje poetizam o luar do Sertão.

A vida simples costuma tornar as pessoas também mais humildes, e desnecessárias de tantas informações que circulam na mídia. Foi num tempo assim, de noites estreladas e onde o som do rádio de pilha trazia as informações, que dona Josefa Barbosa, 55, nasceu, cresceu e formou família. E que família. Uma prole de nove filhos. “Todos nascidos e bem-criados”, diz com um largo sorriso. Mas salário-maternidade não recebeu de nenhum.

A Lei nº 8.213/91 que instituiu o salário-maternidade, não foi uma realidade para ela. “Eu nem sabia que existia. A mulher que fez do campo a sua profissão, teve duas barrigas de gêmeos. O filho mais novo, tem hoje, 26 anos. O direito à licença-maternidade está previsto no artigo 7º, inciso XVII da Constituição Federal, de 1988. A Licença maternidade ou licença-gestante é um benefício de caráter previdenciário garantido pelo artigo 7º, inciso XVIII da Constituição Brasileira, que consiste em conceder à mulher que deu à luz licença remunerada de 120 dias. Para garantir o valor liberado pela Previdência Social é necessário comprovar as atividades rurais por meio de documentos como certidão de casamento, escolaridade e até mesmo com fotos. (mais…)

Maria das Dores da Silva conta com orgulho que é uma aposentada do “INSS”. Foto: Denise Martins - ACS/PE

No Sertão do Pajeú, na cidade de Afogados da Ingazeira, a 400 km da capital Recife, todo sábado é dia de feira. O movimento começa já pela madrugada quando os carros chegam abarrotados de frutas e hortaliças. Os feirantes, em sua maioria, moram na zona rural. São pequenos sítios onde áreas de 4 hectares se transformam em plantações.

Em um desses recantos, no sítio Rodeador, já beneficiado com energia e água de cisternas, e a 2 km do município, mora dona Maria das Dores Alves da Silva, 55, mãe de um casal e duas netas. A senhora é uma simpatia. E tem a sabedoria de quem lida com a terra desde os 8 anos de idade quando aprendeu a plantar junto com o pai. “Adoro a agricultura. A gente sente uma alegria muito grande em mexer com a terra e falar com as plantas porque elas têm vida, assim como a gente”, diz. (mais…)

Segurada Leda recebe instrumento de trabalhoCE

Um veículo se aproxima para fazer uma entrega na casa de  Lêda Maria Barbosa Ferreira, em Caucaia, no Ceará. Ela afasta os móveis da casa e abre

Segurada Lêda Maria Barbosa Ferreira participou do Programa de Reabilitação Profissional do INSS. Foto: Divulgação ACS/CE

espaço para acomodar um freezer, que será peça importante para sua nova atividade de trabalho. Após participação no Programa de Reabilitação Profissional do INSS, a auxiliar de professora vai prover o sustento da família por meio da venda de lanches, e para isso recebeu do instituto o novo instrumento de trabalho.

Aos 48 anos de idade, Lêda vinha sofrendo há dois anos com uma lombalgia que dificultou sua rotina de trabalho num Centro de Educação Infantil, levando ao requerimento de um auxílio-doença. “Acredito que a causa desse problema tenha sido a função que ela exercia no local. Por tratar de crianças, ela se abaixava muito, os móveis eram baixinhos…”, relata a orientadora profissional Vera Sampaio, da Agência da Previdência Social Fortaleza-Centro. Outros fatores atenuaram o problema, como uma tendinite e o longo percurso até o local de trabalho. “Eu pegava quatro ônibus pra ir pra escolinha. Não tenho mais condições pra voltar pra lá”, conta Lêda sobre sua rotina dos últimos doze anos.

Sob a orientação do Programa de Reabilitação Profissional, ela vislumbrou possibilidades de exercer outros ofícios. Participou de um curso sobre como iniciar um empreendimento comercial e aprendeu informática. Na nova empreitada, pesou a experiência que teve durante um curto período em que vendeu lanches na rua, e a história bem sucedida de um irmão que trabalha no ramo. “Antes de trabalhar na escola, eu tive uma barraca de bolos, salgados, refrigerantes. Era só à noite, mas era um complemento pra renda quando eu estudava”, conta. (mais…)

INSS leva atendimento previdenciário à calha do Rio Purus. Foto: Maria do Carmo de Castro/AM

Cinco comunidades ribeirinhas do Estado do Amazonas recebem atendimento previdenciário entre sexta-feira (21) e o dia 29 de agosto. Esta missão conjunta do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e da Marinha do Brasil irá beneficiar os habitantes das localidades Fazenda Braga, Itapuru, Arumã, Cuanã, Surara. Também será contemplada a sede de município de Beruri, a 173 quilômetros de Manaus.

Esta é mais uma etapa do cronograma de missões conjuntas com a Marinha do Brasil. A ação será realizada a bordo do navio de assistência hospitalar Oswaldo Cruz, subordinado ao Comando da Flotilha do Amazonas. A coordenação é do comandante José Duarte.

Os técnicos do Seguro Social embarcam nesta quinta-feira (20), para levar atendimento previdenciário à calha do Rio Purus. Segundo explicou o gerente-executivo do INSS em Manaus, Clizares Santana, esta é a primeira missão deste ano e é objeto do Termo de Cooperação Técnica firmado entre o INSS e a Marinha. (mais…)

Cidadãos de Porteirinha, norte de Minas, recebem Agência da Previdência Social. Foto: ACS/MG

O INSS inaugurou mais uma Agência da Previdência Social, no norte de Minas, em Porteirinha na quinta-feira (23).  A Agência vai atender também os cidadãos dos municípios de Pai Pedro e Serranópolis de Minas, beneficiando uma população de 50 mil habitantes. A previsão é que cerca de 800 atendimentos sejam realizados por mês. A Agência da Previdência Social Porteirinha está localizada na Av. José Silveira  Lopes, 303 – Vila Serranópolis e o horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

A nova unidade integra o Plano de Expansão da Rede de Atendimento da Previdência Social (PEX), que prevê a inauguração de agências em cidades com mais de 20 mil habitantes.  As unidades do PEX são padronizadas, com área construída de 330 m2. Possuem dispositivos de segurança, acessibilidade para idosos e pessoas portadoras de necessidades especiais, além de modernos equipamentos de informática. (mais…)

 

Alexsandro Sell e Renata Faria comemoram o retorno do segurado ao mercado de trabalho. Foto: ACS/MG

Alexsandro Sell, aos 41 anos, comemora a realocação no mercado de trabalho e ressalta a importância da Reabilitação Profissional em sua vida. Alexsandro sofreu um acidente de trabalho que o incapacitou de atuar como açougueiro, em 2008. Após dois anos em auxílio-doença, a avaliação pericial constatou a impossibilidade de retorno às atividades que desenvolvia e o segurado foi encaminhado para o Programa de Reabilitação Profissional, em Juiz de Fora.

“Recebi total apoio e o programa me ajudou a superar até uma grave depressão. Então, aproveitei todas as oportunidades que a Previdência me deu para retornar ao mercado de trabalho”, registrou Alexsandro quando voltou ao INSS para efetuar a primeira pesquisa de fixação. Ele explica que participar do Programa foi uma grande oportunidade, pois foi por meio da Reabilitação que conseguiu uma nova oportunidade profissional, afinal só sabia até então, a profissão de açougueiro. (mais…)

Com novo emprego, Adriano pretende contribuir para aposentadoria no futuro. Foto: ACS/CE

O começo em um novo local de trabalho é um período de desafios e descobertas. Para Adriano José de Melo, de 47 anos, a sua contratação por uma escola em Fortaleza (CE) marca também seu retorno ao mercado de trabalho, após acidente que diminuiu os movimentos de um braço. “Voltei à condição de empregado porque queria muito”, conta Adriano, após concluir o Programa de Reabilitação Profissional do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Aproveitar as oportunidades e manter-se produtivo sempre foi uma característica determinante na trajetória de Adriano, desde a primeira contribuição para a Previdência Social, aos 19 anos. Quando surgiu o primeiro contrato de trabalho não havia concluído o colegial, mas fez um curso supletivo para assumir uma vaga como cobrador de ônibus. Depois foi zelador e porteiro de condomínio. (mais…)