Reabilitação Profissional do INSS entrega próteses em João Pessoa

Reabilitação Profissional do INSS entrega próteses em João Pessoa

Dez segurados da Previdência Social, que participam do Programa de Reabilitação Profissional, receberam próteses do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).  A entrega foi feita pela Unidade Técnica de Reabilitação Profissional – UTRP, da Gerência Executiva do INSS em João Pessoa. Foram doadas próteses de membros inferiores, para segurados que sofreram amputações  nas pernas, na maioria proveniente de acidente de moto.

É o caso de Márcio Nascimento, 30 anos, natural do município paraibano de Itabaiana. Ele recebeu, pela primeira vez, a prótese transfemural (fixada na coxa). Márcio trabalhava como motorista de caminhão, mas foi dirigindo sua moto que sofreu o acidente que resultou na amputação da perna. Na qualidade de segurado do INSS, Márcio vai ser reabilitado para voltar ao trabalho em uma função compatível com a nova capacidade laboral.

Todo segurado da Previdência Social que teve sua capacidade laboral reduzida por doença ou acidente pode ser inserido no Programa de Reabilitação Profissional.  O atendimento é feito por uma equipe multidisciplinar que faz uma avaliação do trabalhador. Se for considerado apto para readaptação ao mercado de trabalho, ele será indicado a participar do Programa. (mais…)

Tempo de áudio- 33 seg

LOC/REPÓRTER:  O INSS começa a depositar os benefícios para quem recebe acima do salário mínimo a partir desta quarta-feira, dia 1º de outubro. Nesta data será liberado o pagamento para os segurados que possuem cartão com final 1 e 6, desconsiderando-se o dígito. Os segurados que recebem até o piso previdenciário- um salário mínimo – e possuem cartão final 6 também podem sacar o benefício na quarta. Os depósitos da folha de setembro seguem até o dia 7 de outubro.

De Brasília, Ligia Borges.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A cirurgiã-dentista Thaís Castro contribui para a Previdência Social desde que recebeu sua inscrição no Conselho Regional de Odontologia (CRO)

A cirurgiã-dentista Thaís Castro contribui para a Previdência Social desde que recebeu sua inscrição no Conselho Regional de Odontologia (CRO)

Todo trabalhador que exerce atividade remunerada e não possui registro na Carteira de Trabalho (CTPS) deve contribuir para a Previdência e garantir acesso aos benefícios e serviços previdenciários. Quem já teve registro em carteira, mas deixou o emprego e agora exerce alguma atividade por conta própria, deve voltar a contribuir para manter a condição de segurado. O trabalhador que se encontra em uma dessas situações deve se inscrever como contribuinte individual, pagando uma contribuição de 20% da remuneração auferida pelo exercício de sua atividade por conta própria.

A Previdência Social considera contribuinte individual aquele profissional que presta serviços de natureza urbana ou rural, em caráter eventual, a uma ou mais empresas, sem relação de emprego, ou, aquele que exerce, por conta própria (profissional liberal), atividade econômica remunerada de natureza urbana, com fins lucrativos ou não.

Os contribuintes individuais geralmente estão ligados a atividades, como prestação de serviços. São contribuintes individuais, entre outros, sacerdotes, síndicos remunerados, mototaxistas, motoristas de táxi, vendedores ambulantes, diaristas, pintores, eletricistas e associados de cooperativas de trabalho. (mais…)

“O resultado do trabalho de toda uma equipe técnica comprometida com o estímulo do regime de Previdência Complementar e ao incentivo à formação de poupança de longo prazo no país.” Foi essa a mensagem que o secretário-adjunto de políticas de Previdência Complementar do Ministério da Previdência, José Edson da Cunha Junior utilizou, na tarde desta quarta-feira (24), ao receber o 9° Premio da Associação Nacional dos Contabilistas das Entidades de Previdência (Ancep) na categoria “Excelência na Previdência”.

A premiação foi entregue ao secretário-adjunto no 10° Conancep, o Conselho Nacional da associação, realizado de hoje até a próxima sexta-feira (26), em Florianópolis (SC). O evento, realizado a cada dois anos, reúne profissionais de referência nas áreas de contabilidade, finanças, investimentos e previdência no país. (mais…)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

 Tempo de áudio – 53 seg

LOC/REPÓRTER: – O pagamento da folha de setembro dos segurados do INSS começa nesta quarta-feira, 24 de setembro. Os depósitos começam a ser liberados nessa data para quem recebe até um salário mínimo e possui cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Para quem recebe acima do mínimo, o pagamento começa a ser depositado no dia 1º de outubro. O pagamento de setembro será depositado até o dia 7 de outubro. A folha de pagamento do INSS paga atualmente mais de 31 milhões de benefícios e injeta na economia do país mais de 29 bilhões de reais todos os meses. O Extrato de Pagamento de Benefícios já está disponível para consulta dos segurados nos terminais de autoatendimento dos bancos pagadores. A consulta do extrato também pode ser feita no site da Previdência Social. Basta acessar a Agência Eletrônica e fazer a consulta. O endereço é www.previdencia.gov.br.

De Brasília, Ana Carolina Melo

 

 

 

O segurado que entender ter recuperado sua capacidade laborativa deve dirigir-se à Agência da Previdência Social para comunicar o fato ao INSS

O segurado que entender ter recuperado sua capacidade laborativa deve dirigir-se à Agência da Previdência Social para comunicar o fato ao INSS

A Aposentadoria por Invalidez é um direito dos trabalhadores que, por doença ou acidente, forem considerados pela perícia médica da Previdência Social incapacitados para exercer suas atividades ou outro tipo de serviço que lhes garanta o sustento.

Para ter direito a esse tipo de aposentadoria, é necessário que a incapacidade tenha começado após a inscrição do trabalhador na Previdência Social. Não tem direito ao benefício quem, ao se filiar à Previdência Social, já tiver doença ou lesão que geraria o benefício, a não ser quando a incapacidade resultar no agravamento da enfermidade. (mais…)

Os Índios da aldeia Tey Ikuê, no município de Caarapó, distante 264 quilômetros de Campo Grande estão recebendo orientações sobre a Previdência Social, por meio do Programa de Educação Previdenciária (PEP) da Gerência Executiva do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Dourados (MS).

Em levantamento feito pelo capitão da aldeia,  Norivaldo, existe um grande número de indígenas com deficiência física e com problemas visuais, principalmente crianças. “Por isso, a necessidade de termos conhecimento sobre os benefícios assistenciais para ajudar os nossos patrícios”, comentou Norivaldo.

A palestra, ministrada pela assistente social Danieli Munhoz da Agência da Previdência Social de Navaraí, em uma das visitas da equipe do PEP  à aldeia, abordou os benefícios previdenciários e  assistenciais. Os casos apresentados pelos indígenas à equipe do INSS serão analisados pela Agência da Previdência Social Caarapó.

Além dos indígenas da aldeia Tey Ikuêl, onde moram aproximadamente 600 pessoas, a região de Caarapó tem uma das maiores concentrações de aldeias do Mato Grosso do Sul. Segundo dados da prefeitura, cerca de cinco mil índios da etnia guarany-kaiwa estão na região.

Segurado especial  – Os indígenas são considerados segurados especiais para a Previdência Social. O segurado especial exerce sua atividade em regime de economia familiar. Estão incluídos nesta categoria, cônjuges, companheiros e filhos maiores de 16 anos que trabalham com a família em atividade rural. O segurado especial tem direito aos benefícios de aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, auxílio-acidente, salário-maternidade e pensão por morte.

Benefício assistencial – O Benefício Assistencial é pago à pessoa idosa com 65 anos ou mais e à pessoa com deficiência  que não possua  meios de prover a própria subsistência . Além disso, o cidadão não pode receber outro benefício da Previdência Social. Para ter direito ao amparo assistencial, a renda familiar mensal deve ser inferior a ¼ do salário mínimo por pessoa. (Cláudio Severo)

 

 O óbito do segurado ou pensionista deve ser imediatamente comunicado à Previdência Social para regularização do benefício

O óbito do segurado ou pensionista deve ser imediatamente comunicado à Previdência Social para regularização do benefício

O óbito do segurado ou pensionista deve ser imediatamente comunicado à Previdência Social, para que seja possível a regularização da titularidade do benefício, por meio da concessão de pensão por morte aos dependentes habilitados ou do pagamento dos resíduos aos herdeiros e sucessores civis. Quando ocorre o falecimento do segurado, a Previdência Social efetua o pagamento de valores não recebidos pelo titular aos dependentes habilitados a receberem o benefício pensão por morte, caso existam.

Os dependentes previdenciários do segurado são definidos em três classes. Na primeira classe estão o cônjuge, o companheiro ou companheira, filho não emancipado menor de 21 anos ou filho inválido de qualquer idade. A segunda classe é formada pelos pais do segurado e, a terceira, pelo irmão não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 anos, ou inválido de qualquer idade. A existência de dependente de uma classe exclui do direito às prestações os dependentes das classes seguintes. Já os integrantes de uma mesma classe concorrem em condição de igualdade. (mais…)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Tempo de áudio – 1,21 min

LOC/REPÓRTER: Nesta quinta e sexta-feira, 18 e 19 de setembro, o Ministério da Previdência Social realizou, em Brasília, em parceria com o Ministério do Planejamento, o seminário “Os Sistemas de Seguro contra Acidentes de Trabalho no Brasil e na Itália”. O evento foi resultado do Acordo de Cooperação “Apoio aos Diálogos Setoriais Brasil e União Europeia”.Nesta sexta-feira, o foco do evento foram as ações regressivas nos dois países. Essas ações buscam ressarcir o INSS por valores pagos a segurados vítimas de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. Essas ações são movidas contra empresas que não cumprem ou ficalizam as normas de saúde e segurança do trabalho. O diretor do Departamento de Saúde e Segurança Ocupacional do Ministério da Previdência Social, Marco Pérez, falou sobre a importância dessas ações para reduzir o número de acidentes de trabalho no país.

TEC/SONORA: Diretor do Departamento de Saúde e Segurança Ocupacional do Ministério da Previdência Social, Marco Pérez.

“Nós conseguimos aqui discutir vários elementos em que o Seguro Acidente de Trabalho pode ser utilizado, pode ser aprimorado, para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores do nosso país. Um exemplo disso é a discussão que nós acabamos de ter sobre ações regressivas e responsabilizar o empregador para pagar aquilo que a Previdência Social gastou em termos de benefícios em casos de acidentes de trabalho. Temos assim vários pontos que podem ajudar o seguro acidente de Trabalho no Brasil”.

De Brasília, Ana Carolina Melo

A  Previdência chegará a zona rural de Maués a bordo do “Zona Franca Verde”

A Previdência chegará a zona rural de Maués a bordo do “Zona Franca Verde”

Equipe formada por 4 servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) chega na próxima segunda-feira (22) às comunidades  Bom Jesus do Apoquitaua e Osório da Fonseca, área indígena do município de  Maués, região conhecida por concentrar boa parte da população indígena do Amazonas.  Os  previdenciários integram a equipe do barco Zona Franca Verde, do Projeto Pronto Atendimento Itinerante (PAI), do  governo do estado,  atualmente em missão na calha do Baixo-Amazonas.

 Localizado a 267 quilômetros de Manaus, o município de Maués  é conhecido pela  alta taxa de longevidade de sua população. Estudos apontam o modo de vida ativo do ribeirinho amazônico como a principal razão da longevidade.

Segundo o Chefe do  Serviço de Benefícios da Gerência Executiva do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Manaus, Vitor Victória,  dos 5.454 benefícios atualmente  pagos pela Previdência Social no município de Maués,  18%  (969)  têm como beneficiários idosos a partir de 80 anos. Ainda segundo Vitor,  desses 969 beneficiários, 772 estão na faixa de 80 a 89 anos, 185  na faixa de 90 a 99 anos e 12 com mais de 100 anos. (mais…)